Decisão da vida (desabafo)

futuro

Olá. Hoje o post vai ser um pouco diferente do costume, mas às vezes até é bom dar uma variada.. Vou desabafar aqui um pouco, se vocês não se importarem. Não sei o que fazer. E acreditem, isto não é um drama adolescente ou algo do género. Talvez seja, mas não vejo as coisas dessa maneira.

Bem, dentro de 2 meses, vou ter de escolher o que é que quero trabalhar, provavelmente para o resto da vida. Dentro de 2 meses, vão me por papéis à frente e dizer: “está na hora”. Será que esta mesmo? Não me sinto preparada, longe disso. Tenho medo. Não sei o que quero. Sempre gostei muito de medicina, mas será que estou pronta para tantos anos de estudo? Tanto sacrifício? É isso o que quero? Ou a escrita.. Devo arriscar? Compensará? Sou suficientemente boa para ter uma carreira desse tipo?  Sinceramente, não sei. Tudo tem um lado positivo e um negativo. Mas será que um “amortece” o outro? A única coisa que eu sei, é que não tenho medo de trabalhar por aquilo que quero. Claro que não. Quando souber, quando tiver alguma certeza, não será um sonho: será um objetivo! E eu estou disposta a fazer de tudo para alcançá-lo. Mas.. Que objetivo é esse? O futuro não devia ser algo assustador. Sempre o vi como algo que eu ansiava muito, mas agora só me apetece voltar para o passado. Lá as coisas eram muito mais seguras. Ao que parece, os próximos meses vão ser super difíceis, visto que penso nisto todos os dias. Mas nunca obtenho nenhuma resposta.

Cada vez fico mais assustada. Isso já para não falar da pressão. Na escola temos aconselhamento com um psicólogo, e temos feito vários exercícios que, supostamente, ajudam-nos a conhecermo-nos melhor e a fazer uma boa escolha profissional. Nas sessões com o psicólogo, as coisas são mais relaxadas. Como estamos entre amigos (o grupo é formado por algumas pessoas da minha turma), o que devia ser super sério, passa a ser mais um momento de diversão. Não estou a dizer que vejo aquilo como uma brincadeira, claro que não! Talvez visse no começo. No entanto, bastou ele abrir a boca que aquilo tudo se transformou em mais um conjunto de perguntas de que eu já estou mais que farta. “Já sabem o que vão ser no futuro?” “Sabem como podem chegar até ao vosso objetivo?” Respondi não a ambas. Não fui a única, claro. Mas admito que senti alguma inveja daqueles que responderam sim (pelo menos à primeira pergunta). Como eu queria ter certeza de algumas coisas. Tornaria tudo muito mais fácil. Talvez a vida não deva ser fácil, (podia era não ser tão difícil). E agora?

 

Beijos da Ju ❤️

Anúncios